Páginas

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

FODA-SE A IMPRENSA

Vou dizer um negócio muito sério e profundo. Lá vai: FODA-SE A IMPRENSA.
Assistindo ao novo festival de mentiras, desinformações e distorções que a grande mídia nacional deu após as novas manifestações populares (de 13/12/15) contra o esquema petista, dou-me conta de que já passou da hora de pararmos de gastar energia dando bola para esses sovietes infra-letrados. Sabem por quê? Por que o povo, que é quem importa em uma democracia, não está nem aí para esses abostados.
Faz aproximadamente meio século que, percebendo a impossibilidade da revolução completa através das armas, os marxistas, orientados por Gramsci e pela Escola de Frankfurt, resolveram tomar primeiro as mentes. Para isso, em um processo lento e eficaz, psicopaticamente genial, ocuparam as universidades, as redações de jornais, as emissoras, enfim, todo e qualquer espaço de propagação de informações.
A má notícia (para eles) é que o povo caga e anda para o que dizem os sovietes da mídia. Os "populares" não sabem bem por que, mas não conseguem engolir os arsenais de artificialidade ideológica, desinformação e engodo a que são submetidos. Seguem dando audiência a essas porcarias por inércia (estado cinético profícuo no Brasil), mas até isso vai perdendo a força.
Enquanto o povo lhes vira as costas, causando-lhes crises financeiras sem precedentes, jornais e emissoras de rádio e tevê seguem produzindo conteúdo e recortando os fatos bem ao gosto de quem mais os critica – esquerdistas de diferentes matizes. Por quê? Porque são eles próprios que conformam a imensa maioria dos jornalistas das grandes redações do país! Por quê? Porque o processo está completo, terminado. Derrotada nas armas, a esquerda brasileira de fato tomou conta de todos os espaços opinativos e informativos do país. Não adianta espernear. Tampouco adianta negociar, implorar ao bom senso, estabelecer um diálogo honesto, escrever cartinha para redação de jornal pedindo honestidade no tratamento das manifestações anti-PT. Nada disso adianta. Esquerdista desconhece honestidade; reconhece apenas os fins de sua ideologia.
Portanto, só nos resta
1 – denunciar, escancarar, desnudar esses filhos da puta em praça pública, da mesma forma que temos feito com os políticos de esquerda e;
2 – pacientemente, ir retomando os espaços, o que, convenhamos, não é tão difícil assim; um não-esquerdista peita, nas palavras e no braço mesmo, tranqüilamente, dez esquerdistas – fiz isso sem muita dificuldade por seis anos em uma faculdade de Letras federal (e, todos sabem, faculdades de humanas brasileiras são a cracolândia da intelectualidade universal).
Em resumo, não nos abalemos com os boicotes, com as distorções e com a maldade da imprensa. Há pouquíssimos jornalistas decentes por aí. Há pouquíssimos Mídia Sem Máscara no fronte. Precisamos multiplicá-los.
Enquanto isso, não nos preocupemos, a Verdade sempre prevalece. Para cada jornalista formado pela escola do ressentimento esquerdista, contaminado por muita maconha e gramscismo, há milhões de pessoas enxergando a realidade, sem tempo para problematizações psicóticas, imunes à ideologização.
E, porra, temos a Internet, o YouTube, o Facebook, o Whatsapp... Sabem onde o povo está? Não, o povo não está lendo a Zero Hora (perguntem no RH do jornal se estou mentindo...), a Folha ou o Estadão. O povo está aqui.
Vamos, sim, trabalhar para diminuir o poder da grande imprensa canhota, para fazer prevalecer a verdade nas capas de jornais e nas manchetes televisivas. Todavia, muito mais eficaz é nos dedicarmos a conversar com as pessoas e simplesmente mostrar para elas aquilo que elas intuem e que a "intelectualidade" insiste em esconder: que 1 mais 1 é igual a 2.

Militante petista, digo, jornalista gaúcho (de grande periódico local) cobrindo manifestação anti-PT em Porto Alegre, em 13/12/15.